Inovação e Rentabilidade na Cotonicultura

11 congresso do algodão

Maceió-AL 29/8 a 1/9/2017
Centro de Convenções de Maceió

Blog

BLOG

22/08/2017

Cotonicultores da África e da América Latina debaterão oportunidades da cooperação no 11° CBA

Produtores e pesquisadores de algodão de países da África e da América Latina, com os quais o Brasil mantém um acordo de cooperação técnica, através da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), participarão, entre os dias 29 de agosto e 1°de setembro, de uma intensa agenda de discussões e minicursos na programação do 11°Congresso Brasileiro do Algodão (11°CBA), que acontecerá no Pavilhão de Exposições do Centro de Convenções de Maceió/AL. Entre os 36 participantes vindos da América Latina e os 32 oriundos daÁfrica, estarão presentes também representantes de governos de alguns desses países. O 11°CBA, realizado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), é uma oportunidade para que os parceiros da cooperação brasileira troquem experiências e reforcem laços de solidariedade para o desenvolvimento da cultura do algodão e, consequentemente, econômico e social, nos, aproximadamente, 20 países envolvidos.

Durante a programação, serão abordados os desafios e oportunidades da cooperação Sul-Sul na cadeia de valor do algodão na África e América Latina. O acordo de cooperação técnica aplica recursos do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), com os quais foi possível, somente entre os anos de 2014 e 2016, capacitar em torno de 4,5 mil pessoas em 12 países da África e oito da América do Sul.

Segundo o embaixador João Almino, diretor da ABC, órgão ligado ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), o fortalecimento da cadeia produtiva do algodão nos países cooperantes é o objetivo do acordo, que, nesse sentido, se estende a frentes como a promoção do trabalho decente. "São ações importantes para aqueles países e para o Brasil. Um exemplo é o que aprendemos no campo fitotécnico. No combate e controle de pragas que ainda não existem por aqui, mas que, eventualmente, podem migrar, e, dessa forma, podemos nos preparar. Outro ganho é no acesso a novos materiais genéticos, que promove a diversificação nas lavouras brasileiras", explica o embaixador. Ainda segundo o diretor da ABC, as discussões multilaterais e os vínculos que o Brasil estabelece com esses países são de grande relevância política, e também colaboram para o incremento do consumo de algodão. "Enfatizamos o uso das fibras naturais ante as sintéticas, e isso se reflete em toda a cadeia produtiva", afirma.

Para o presidente da Abrapa, Arlindo de Azevedo Moura, a vinda das lideranças dos países integrantes do acordo de cooperação para participar do 11°Congresso Brasileiro do Algodão cria uma oportunidade debenchmarkingmuito salutar, seja no âmbito agronômico, político, social ou econômico. "O Brasil é uma liderança no bloco da América do Sul, e, sem dúvida, umplayerimportante no mundo. Abrir-nos à discussão e à solidariedade sempre pode contribuir para o nosso aprimoramento. Cooperação é uma via de mão dupla", conclui Arlindo Moura.



Acompanhe também facebook twitter

twitter
facebook
instagram
flickr

Realização

Apoio

Apoio Científico

Parceiro



Agência de Viagens Oficial

Secretaria Executiva



Cota Ouro

Cota Prata

Cota Bronze



Cota Cobre

Gerenciado por

gruv