Premiação do 13º CBA fomenta pesquisa sobre algodão nas universidades

thumbnail

O incentivo à pesquisa e à disseminação de conhecimento é um dos objetivos do Congresso Brasileiro de Algodão (CBA), promovido a cada dois anos pela Abrapa. A excelência da produção acadêmica é reconhecida por meio de uma premiação, que oferece bolsas de estudo e participações em congressos internacionais aos melhores trabalhos científicos.

O CBA nasceu justamente como um encontro de pesquisadores, em 1997, organizado pela Embrapa Algodão. Ao longo de 24 anos, ganhou maior dimensão e participação efetiva do setor produtivo e de empresas, mas a produção técnico-científica continuou sendo prioridade. Foi assim que surgiu a ideia de premiar as melhores pesquisas. “Tentamos evoluir e valorizar um pouco mais esses trabalhos, para estimular jovens profissionais e professores orientadores das universidades a trabalharem com algodão”, conta Jean Belot, pesquisador do Instituto Matogrossense do Algodão (IMAmt) que participou de todas as edições do Congresso e é coordenador-geral da Comissão Científica do 13º CBA.

Segundo Belot, o fomento ao trabalho das universidades é a estratégia adotada pelos Estados Unidos, principal concorrente brasileiro na disputa pelo mercado internacional da pluma. “Nossa avaliação é muito clara, não podemos sustentar uma cadeia produtiva tão importante como a do algodão sem uma pesquisa forte, temos que pensar no futuro”, enfatiza.

Temas de pesquisa

Nas primeiras edições, o Congresso Brasileiro do Algodão abrangia trabalhos técnico-científicos em inúmeras áreas de conhecimento, de estatística a difusão de tecnologias, sementes, práticas culturais e mecanização. Os estudos acompanharam a evolução e as demandas da cadeia produtiva. “As pragas e o custo de manejo sempre foram um gargalo. As instituições tiveram que desenvolver novas cultivares mais resistentes, mais produtivas e de melhor qualidade, visando oferecer maior rentabilidade ao produtor”, relata Odilon Reny, chefe administrativo da Embrapa Algodão e integrante da comissão científica do CBA, desde a 2ª edição.

A produção científica e a união da cadeia produtiva propiciaram um salto na cotonicultura brasileira nas últimas duas décadas. O país passou de segundo maior importador para segundo maior fornecedor global de algodão e, com o apoio das universidades e instituições de pesquisa, pretende chegar ao topo do ranking mundial nos próximos anos.

Na avaliação de Fernando Lamas, pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste que participa desde a primeira edição do CBA, o grande desafio dos pesquisadores é pensar a sustentabilidade da cultura. “Temos que desenvolver modelos de produção que permitam reduzir as emissões de CO2 e chegar num algodão carbono neutro ou carbono zero, até para atendermos a demanda dos países importadores e do consumidor brasileiro”, avalia.

Premiação no 13º CBA

Se você é pesquisador e se interessa pela cotonicultura, chegou a hora de planejar seu próximo estudo. As inscrições para a premiação científica do 13º CBA – que acontece de 16 a 18 de agosto de 2022, em Salvador – começam em 05 de abril do ano que vem.

Os trabalhos deverão abordar temas inovadores, criativos e com proposição de soluções para problemas enfrentados pela cadeia produtiva do algodão em oito áreas de conhecimento:

I – Produção Vegetal – Fisiologia, Fitotecnia, Nutrição de Plantas e Sistemas de Produção;
II – Agricultura Digital – Agricultura de Precisão e Inteligência Artificial;
III – Colheita/ Beneficiamento/ Qualidade de Fibra e do Caroço;
IV – Controle de Pragas – Entomologia e Biotecnologia;
V – Fitopatologia e Nematologia;
VI – Matologia e Destruição de Soqueira;
VII – Melhoramento Vegetal e Biotecnologia e
VIII – Socioeconomia.

Serão premiados os melhores estudos nas categorias Estudante de Graduação, Estudante de Pós-Graduação, Áreas Temáticas (pesquisadores de qualquer instituição) e Professor Orientador.

Os trabalhos serão analisados pela Comissão Científica do 13º CBA, que  escolherá 12  a serem apresentados de forma oral por seus autores no Congresso do ano que vem.

Para saber mais, acesse o regulamento aqui: http://congressodoalgodao.com.br/wp-content/uploads/2020/02/13o-CBA-Regulamento-PREMIACAO-CIENTIFICA-2022-ASSINADO.pdf

Leave a comment

X